sobre

Perder o medo do palco em 4 passos

Perder o medo do palco em 4 passos

Sabia que, segundo publicado no The Book of Lists de David Wallechinsky, o maior receio da humanidade é falar em público? Seguido pelo medo das alturas e fobia a insetos.

Parece mentira. A verdade é que o ser humano tem mais medo de se apresentar e falar para uma plateia do que da morte, que ocupa o 9º lugar nesta lista.

Quantos de nós não sentimos já o coração a disparar, as mãos a suar e o estômago às voltas no momento em que somos confrontados com a tarefa de coordenar uma apresentação, falar para um auditório cheio ou até mesmo para um grupo pequeno de pessoas. Por norma, temos a tendência de pedir socorro ao Power Point e de achar que, se nos escondermos por detrás de inúmeros slides, estaremos a salvo.

Falar em público não tem de ser este drama existencial!

Aqui ficam 4 estratégias que o vão ajudar a ultrapassar este receio.

 

1- Prepare-se

Desenvolva uma estrutura na apresentação!

Início, desenvolvimento e fecho. Não só será mais fácil para si, no momento de a expor, como para a audiência a captar. Evita igualmente entrar em devaneios e perder-se no seu raciocínio.

Imagine-se e visualize-se a fazer uma apresentação fantástica!

O nosso cérebro, por vezes, tem dificuldade em distinguir a realidade do que ficcionamos. Tire o maior proveito desta característica, imagine cada momento ao pormenor e ganhe confiança. Esta confiança vai redobrar quando chegar o momento da verdade, porque se vai sentir preparado para o desafio

Ensaie a apresentação.

A mensagem, que quer passar, deve estar na sua cabeça de forma estruturada e assimilada. Ou seja, não decore! Conheça e entenda o que está a dizer! Desta forma, estará preparado para qualquer surpresa, quer do material de apoio quer da sua mente.

Crie uma plateia fictícia.

Peça aos seus colegas que assumam esse papel (de uma forma realista, uns atentos, outros distraídos) ou, se preferir, imprima umas quantas fotos e cole em algumas cadeiras. Rapidamente se habitua à ideia de estar a ser observado.

Faça o reconhecimento do palco antes mesmo da audiência entrar.

Circule, familiarize-se com o espaço e imagine as cadeiras ocupadas.

Teste tudo!

Teste o microfone, o som, o portátil e o restante equipamento de que vai precisar. Faça-o com todo o material da apresentação. Aproveite o que tem preparado para o início e, desta forma, tem a oportunidade de perceber se funciona, bem como o ajuda a relembrar-se da estrutura.

 

2 – Seja você mesmo

Existe a ideia de que, para termos credibilidade, temos de ter um determinado tom de voz e uma postura corporal rígida e assertiva. Esta ideia não pode estar mais errada.

É fundamental criar empatia com a audiência de modo a que a sua mensagem seja interiorizada. Lembre-se: ninguém consegue sentir uma ligação com um robot. Humanize-se e converse com o público e verá como a informação flui.

Não tenha vergonha em pedir feedback, no final. Aceite a opinião de quem o ouviu, valorize a parte boa e reflita sobre alguns pontos de melhoria. Não ponha, no entanto, a fasquia num patamar surreal. Dois, três pontos no máximo.

 

3 – Descontraia

Pratique exercício físico.

Ao exercitar o corpo antes da apresentação, liberta as substâncias necessárias para gerar uma sensação de bem-estar e consequentemente acalmar o estado de nervos. Ajuda a mudar o foco da sua atenção, durante algum tempo e vai ver que, quando voltar novamente à apresentação, a sua concentração está a 100%. No caso de não lhe ser possível, opte por praticar exercícios de respiração e saltar antes de entrar em palco. Desta forma ativa a sua circulação e o sangue vai correr com toda a força.

 

4 – Divirta-se

Ter a oportunidade de poder passar uma mensagem, de partilhar conhecimento e gerar ações e mudanças, é algo que não está ao alcance de todos e só faz sentido se tirar o máximo proveito desta experiência.

Se se estiver a divertir, o entusiamo que coloca em cada frase contagia quem o estiver a ouvir e a informação, que quiser passar, chega mais rapidamente ao seu público-alvo.

A audiência pode esquecer-se dos gráficos que apresentou, mas a boa energia gerada, as mensagens importantes, as histórias que contar, tudo isso ficará bem guardado.